Diabetes: Conheça a diferença entre tipo 1 e tipo 2 e saiba como diagnosticar


Nos últimos dez anos, houve um aumento de 26,61% no número de pacientes diabéticos no Brasil e esse número também pode aumentar em consequência da pandemia do Covid-19, que provocou maior dificuldade ao acesso e manutenção da alimentação saudável, menores índices de atividade física e evasão dos sistemas de saúde. Entenda a diferença entre os tipos de Diabetes:

Diabetes Tipo 1: Em algumas pessoas, o sistema imunológico ataca equivocadamente as células beta. Logo, pouca ou nenhuma insulina é liberada para o corpo. Como resultado, a glicose fica no sangue, ao invés de ser usada como energia. O Tipo 1 de diabetes concentra entre 5 e 10% do total de pessoas com a doença.

Diabetes Tipo 2: É uma condição em que as células do corpo não respondem bem ao hormônio insulina por não conseguirem usar adequadamente ou por produção insuficiente. A insulina é produzida pelo pâncreas, com a finalidade de tornar o açúcar no sangue disponível ao corpo para fornecer energia. Pessoas com diabetes tipo 2 têm problema para movimentar o açúcar do sangue para as células, fazendo com que o açúcar permaneça no corpo, causando assim altas taxas de açúcar no sangue. Cerca de 90% das pessoas com diabetes têm o Tipo 2.

Saber da existência da doença é o primeiro passo para adotar medidas que contribuam com a saúde e qualidade de vida. É importante destacar a importância do acompanhamento médico tanto no diagnóstico como no monitoramento do diabetes. Este profissional irá interpretar os resultados dos exames e recomendar tratamentos e hábitos adequados a cada pessoa com base no seu quadro de saúde.

Principais Exames:

Teste de Glicemia: Este exame é realizado tanto para o diagnóstico como para o monitoramento do diabetes. Ele mede a glicose após a pessoa estar há pelo menos 8 horas sem se alimentar.

Teste oral de tolerância à glicose: Também conhecido como curva glicêmica. É realizado para medir a glicose sanguínea em duas situações diferentes: a primeira após, pelo menos, 8 horas de jejum e a segunda depois de 2 horas da ingestão de um líquido com 75g de glicose diluída em água. Este teste também é usado para detectar diabetes ou pré-diabetes.

Hemoglobina glicada: Também indicado tanto para diagnóstico como para monitoramento do diabetes. O teste de hemoglobina glicada estuda as células do sangue e define a média de glicose do trimestre. Não necessita jejum para a coleta. Nos casos de suspeita de diabetes, o exame é prescrito juntamente com o exame de glicose. Para o monitoramento de pacientes que já convivem com a doença, ele é usado para avaliar a melhora ou a piora do quadro.

É fácil ouvir que você tem diabetes? Não. Entretanto, se você tiver informação de qualidade e aprender tudo que precisa para o seu dia a dia com a doença, terá uma vida longa, feliz e saudável. É normal que a cabeça gire, com muitas perguntas, medos e ansiedade. Mas, quem está bem orientado consegue substituir o medo pela precaução!